CÂMARA DE LOBOS - DICIONÁRIO COROGRÁFICO

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
 
Entrada > Dicionário > B > Bairros Sociais
 

 

Bairros Sociais

 

O concelho de Câmara de Lobos e, em particular a sua sede possui vários bairros sociais, reflexo não só dos grandes problemas sociais que ao longo dos anos caracterizaram esta população, mas também devido à sua grande densidade populacional.

Infindáveis e aterradoras são as descrições encontradas nas páginas dos jornais tanto no século XIX como no século XX, a propósito das condições de habitação da população camaralobense e, em particular dos residentes no ilhéu, até durante várias décadas “habitat” natural da classe piscatória.

Ainda que só em 1945 tivesse sido construído no Ilhéu o primeiro bairro piscatório, encontramos referências à necessidade da sua construção pelo menos trinta anos antes, em 1913.

Dotado de 28 fogos, o Bairro do Ilhéu era apenas uma gota de água num imenso oceano de carências, daí que, na altura da sua inauguração verificada a 2 de Dezembro de 1945, prometera-se a imediata construção, no sítio do Pastel, hoje mais conhecido por Espírito Santo, de mais 200 fogos destinados a albergar 1.700 pessoas necessitadas e originárias não só do Ilhéu como de outras zonas degradadas.

O tempo entretanto foi passando sem que a promessa pudesse ser concretizada e, durante 40 anos, as 1.700 pessoas que em 1945 necessitavam de habitação ou os seus descendentes, ao longo do tempo várias vezes multiplicados, foram esperando. No início da década de 80 é finalmente possível concretizar as promessas de 1945 e dois novos bairros são construídos, um no sítio da Palmeira, inaugurado a 25 de Julho de 1982 e outro no sítio do Espírito Santo inaugurado a 25 de Outubro de 1982. Um ano depois, a 27 de Junho de 1983, no Sítio do Espírito Santo, à entrada da rua padre Pita Ferreira viria a surgir um outro bairro com 37 fogos.

Depois de todo este tempo de espera é obvio que a população cresceu e com o seu crescimento, também o agravamento dos problemas habitacionais e sociais e estes novos bairros, dotados de uma capacidade não muito distante da prevista para cobrir as necessidades dos anos 40, revelaram-se insuficientes.

Como consequência, posteriormente, novos bairros sociais viriam a ser construídos, nomeadamente o bairro da Quinta do Leme, inaugurado a 27 de Fevereiro de 1999; o bairro do Serrado do Mar, inaugurado a 22 de Abril de 1996; o bairro do Ribeiro Real,  cuja primeira fase seria inaugurada a 6 de Outubro de 2000 e o bairro da encosta do Socorridos, inaugurado a 25 de Maio de 2001.

A par da construção dos bairros sociais, o aparecimento de uma cooperativa de habitação, em Câmara de Lobos, denominada de COOLOBOS, viria a dar um grande implemento em termos de construção, cobrindo um significativo sector da população, que não sendo carenciada, teria contudo, grandes dificuldades em, de uma forma individual, adquirir ou construir habitação própria.

Construídos por esta cooperativa surge, a 19 de Maio de 1990, na rua Padre Manuel Juvenal Pita Ferreira, o Complexo Habitacional da Torre e,  a 10 de Maio de 1996, o complexo habitacional do Serrado do Mar.

 

Câmara de Lobos

Dicionário Corográfico
Edição electrónica

Manuel Pedro Freitas