CÂMARA DE LOBOS - DICIONÁRIO COROGRÁFICO

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z  
 
Entrada > Dicionário > Q > Quinta de Santo António
 

 

 

Quinta de Santo António

 

Denominação de um dos sítios em que se encontra dividida a freguesia do Estreito de Câmara de Lobos. A sua origem tem a ver com a existência, na localidade, de uma quinta, onde em 1705, o seu proprietário, Inácio Viana do Rego e sua mulher Maria de Aguiar mandaram erigir uma capela com a invocação de Madre de Deus e Santo António.

Em 1778, numa altura em que era seu proprietário José de Brito e a capela se encontrava em avançado estado de degradação, este procedeu à sua reedificação, escolhendo para o efeito, outro local na mesma propriedade, mas mais arejado. Nesta altura, nos respectivos alvarás surge apenas a invocação de Santo António.

Inicialmente utilizada para denominar a quinta ou propriedade onde a capela de Santo António se encontrava implantada, cedo esse topónimo se estendeu às áreas circundantes, até porque muito provavelmente os seus terrenos seriam do mesmo proprietário. A este propósito refira-se que José de Brito foi também proprietário da capela de Nossa Senhora da Consolação situada a poucas centenas de metros, a norte, na mesma encosta.

De acordo com Nelson Veríssimo o sítio da Quinta de Santo António pode ser encontrado pelo menos desde 1758, como consta do rol apresentado na Câmara de Funchal, em 31 de Outubro de 1774, relativamente aos sítios da freguesia do Estreito de Câmara de Lobos que pagaram a «multa» dos anos de 1758, 1759, 1771, 1773 e 1774.

Ocasionalmente ainda se utiliza o topónimo de Quinta de Santo António, para denominar a propriedade, hoje de pequenas dimensões e já sem quaisquer características de quinta, onde se encontra implantada a capela de Santo António, também ela completamente adulterada.

Atravessa este sítio no sentido de Sul-Norte o caminho velho do Foro.

Para além da referência a Capela de Santo António, será importante recordar que tiveram residência neste sítio, Francisco Teodoro da Silva, um dos presidentes da Câmara Municipal de Câmara de Lobos e o Padre Manuel Carlos da Silva, que, foi cura da paróquia de Nossa Senhora da Graça e primeiro pároco da paróquia de Nossa Senhora da Encarnação. Neste sítio encontra-se também implantado o Restaurante de Santo António

 

Câmara de Lobos

Dicionário Corográfico
Edição electrónica

Manuel Pedro Freitas

Câmara de Lobos, sua gente, história e cultura