CÂMARA DE LOBOS - DICIONÁRIO COROGRÁFICO

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
 
Entrada > Dicionário > A > Associação das Damas de Caridade de Câmara de Lobos
 

 

Associação das Damas de Caridade de Câmara de Lobos

 

 

Associação de beneficência fundada em Câmara de Lobos a 9 de Fevereiro de 1929 [1], com o objectivo de socorrer os indigentes e a infância desvalida, por meio de visitas domiciliárias, com pensões ou subsídios de dinheiro, fornecimento de alimentos, roupas e remédios; promover a colocação das famílias vítimas de epidemias ou desastres,  a fundação de escolas, asilos ou albergues, creches, em que se instruam, recolham ou alimentem indivíduos de comprovada pobreza.

Foram seus fundadores. Maria Isabel de França Jardim Soares Henriques; Eugénia Maria Clara de Nóbrega; Maria Emília de Freitas; Maria Figueira Lopes; Maria Celestina Soares de Sousa; Carlota Amália Soares; Carlota Gilberta Soares dos Reis; Augusta Julieta Gonçalves Henriques; Georgina de Sousa Pestana; Georgina Ester Jardim; Constância Adelaide de Freitas; Lucinda Bela de Nóbrega Araújo; Maria Clara Pereira de Nóbrega; Maria M. Silva Henriques; Matilde Adelaide Henriques Pereira; Maria Olívia Henriques, Filomena Celeste Figueira Lopes; Beatriz do Constâncio Lopes; Maria Matilde da Silva Lopes e Maria Matilde Pereira.

Possuía esta associação três categorias de sócios: ordinários, auxiliares e beneméritos. Eram sócios ordinários todos os indivíduos do sexo feminino de idade nunca inferior a dezoito anos, domiciliados  na freguesia de Câmara de Lobos e que deveriam contribuir mensalmente com uma quota mensal de 2$50. Eram sócios ordinários, todos os indivíduos de ambos os sexos de qualquer nacionalidade e idade que contribuíssem com qualquer quota mensal. Eram sócios beneméritos todos os indivíduos que, em virtude de serviços ou benemerências prestadas à Associação, fossem como tal proclamados em Assembleia Geral.

A propósito desta associação e do apoio prestado à população mais carenciada de Câmara de Lobos, em 1930, um órgão de informação referia que, "a não ser a dispensada pela Conferência de São Vicente de Paulo, só podemos indicar a que é dada pelas Damas de Caridade que sob a presidência da Sra. D. Maria Isabel Jardim Soares, muito tem contribuído para minorar a indigência envergonhada desta freguesia [2].

Em 1942 esta associação caritativa ainda existia [3].

 


[1]        Os seus estatutos foram assinados nesta data e entregues no Governo Civil para aprovação no dia 15 de Março de 1929.

[2]        Diário da Madeira, 7 de Setembro de 1930.

[3]        Encontra-se referências a esta associação na edição de O Jornal de 7 de Abril de 1942, que cita a sessão do dia 1 de Abril de 1942, da Junta Geral do Distrito.

 

Câmara de Lobos

Dicionário Corográfico
Edição electrónica

Manuel Pedro Freitas