CÂMARA DE LOBOS - DICIONÁRIO COROGRÁFICO

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
 
Entrada > Dicionário > C > Casa da Cultura de Câmara de Lobos
 

 

 

Casa da Cultura de Câmara de Lobos

 

Uma das primeiras referências conhecidas relativamente à criação de uma Casa da Cultura em Câmara de Lobos, data de 11 de Janeiro de 1989, por ocasião de uma reunião do Governo Regional da Madeira com a edilidade camaralobense, com o objectivo de definir as obras a serem efectuadas no concelho. Nessa altura, para além da decisão de instalar uma Casa da Cultura no último piso do mercado municipal de Câmara de Lobos, seria deliberado a criação da zona Industrial nos Socorridos, a construção dos novos paços do concelho, a construção do polidesportivo do Curral das Freiras e o estudo da construção de uma zona do litoral do concelho, para guardar canoas que só pontualmente seriam utilizadas.

Contudo, apesar de inicialmente prevista para o mercado, a Casa da Cultura de Câmara de Lobos, acabaria por ser transferida para a rua de São João de Deus. Disso mesmo dá conta o Boletim Municipal de Junho/Julho de 1995, ao referir que a Câmara Municipal de Câmara de Lobos iria adquirir para o efeito, nessa rua um prédio.

Em Abril de 1997, é apresentado no Boletim Municipal de Câmara de Lobos o estudo prévio do respectivo edifício.

O edifício a construir, no local onde se encontrava instalado o posto do guarda-fiscal, estender-se-ia entre a Rua Padre Eduardo Clemente Nunes Pereira e a Rua de São João de Deus, teria uma área de 500 metros quadrados e seria composto de 4 pisos.

Na cave seria instalado um parque de estacionamento com capacidade para nove viaturas ligeiras, assim como espaços para arrecadação e arquivo. O andar seguinte seria dividido em pequenos espaços destinados a exposições temporárias. Neste piso a restante área seria ocupada por um auditório com capacidade para 210 pessoas, destinando-se à realização de conferências e outras actividades culturais e recreativas.

O piso seguinte seria ocupado pelo museu de pesca e do pescador, estando ainda reservado um espaço para ensaios das colectividades locais e os serviços administrativos.

Finalmente, no último piso seria instalada a biblioteca municipal, assim como espaços reservados à restauração, nomeadamente uma esplanada e um bar, havendo ainda lugar para estacionamento.

Em Dezembro de 1997, o Governo Regional aprova o programa de concurso, caderno de encargos, projecto e abertura do concurso público para a empreitada de "construção da Casa da Cultura de Câmara de Lobos" pelo valor base de 190 mil contos [1].

Em Setembro de 1998 é anunciado que o início das obras teria lugar no ano seguinte [2].

Em Janeiro de 1999, a imprensa refere que no centro da cidade de Câmara de Lobos já se havia iniciado a construção da Casa da Cultura em Câmara de Lobos, prevendo-se que as obras estariam concluídas dois anos depois.

Sobre a Casa da Cultura e seus objectivos, Gabriel Ornelas, então presidente da Câmara Municipal de Câmara de Lobos, diria: "Vamos transformar este espaço cultural num edifício que inclui uma galeria de exposições, um pequeno museu e outros serviços ligados à cultura deste concelho", adiantando que neste concelho "há muito que se vinha justificando um edifício desta natureza, não só para lançar novos valores artísticos existentes neste concelho, que devido à falta de espaços não podem aprofundar os seus dotes artísticos".

Gabriel Ornelas diria ainda que no centro da construção deste edifício, estão essencialmente dois aspectos: a promessa eleitoral do actual executivo camarário assegurando, no entanto, um espaço alternativo a um dos edifícios existentes no centro da cidade que se encontrava em avançado estado de degradação [3].

No dia 6 de Dezembro de 2001, a Casa da Cultura de Câmara de Lobos viria a ser inaugurada pelo presidente do Governo Regional da Madeira [4].

Algum tempo depois da sua inauguração e com a entrada do novo elenco camarário em funções, presidido por Arlindo Gomes, a Casa da Cultura haveria de ser alvo de uma significativa intervenção estética. Na fachada deveriam ser integrados alguns elementos escultóricos e, na entrada, seria feito um arranjo geral. Para os trabalhos foram solicitados os serviços do escultor Ricardo Velosa [5].

Da mesma forma, a utilidade a dar às suas instalações viria a sofrer algumas alterações.

Em 2009, a biblioteca viria a ser transferida para um edifício construído de raiz e inaugurado  a 3 de Maio de 2009.

No dia 26 de Abril 2012, dada da sua inauguração, a Junta de Freguesia de Câmara de Lobos viria a transferir a sua sede  para o edifício da Casa da Cultura, ficando instalada no último piso do edifício com entrada através da Rua Padre Eduardo Clemente Nunes Pereira.



[1] Sessão Camarária de 11 de Dezembro de 1997.

[2] Diário de Notícias de 2 de Setembro de 1998.

[3] Diário de Notícias, 30 de Janeiro de 1999

[4] Jornal da Madeira, 7 de Dezembro de 2001.

[5] Diário de Notícias, 21 de Fevereiro de 2002.

   

Câmara de Lobos

Dicionário Corográfico
Edição electrónica

Manuel Pedro Freitas

Câmara de Lobos, sua gente, história e cultura