CÂMARA DE LOBOS - DICIONÁRIO COROGRÁFICO

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z  
 
Entrada > Dicionário > F > Fonte do Cachadinha
 

 

 

Fonte do Cachadinha

 

Fonte do Cachadinha é a denominação por que é conhecida uma das várias nascentes existentes numa área  rica em lençóis de água situada no extremo Oeste e Noroeste do sítio da Igreja, na freguesia do Estreito de Câmara de Lobos. Nesta zona, para além da fonte do Cachadinha, estão referenciadas outras importantes nascentes, nomeadamente a que deu origem à fonte do Canário ou dos Canários, à  fonte e poço do Sr. Cândido, à fonte do macaco e à aquela onde tem origem a levada da Levadinha. Esta zona de nascentes estende-se mais para noroeste atingido o sítio das Romeiras, onde outras importantes nascentes podem ser referenciadas, nomeadamente as nascentes do Moinho e dos Tis, onde a levada do Estreito tinha origem.

Numa altura em que não existia abastecimento público de água ao domicílio, estas nascentes eram o local onde as pessoas, recorriam para se abastecerem da água necessária não só à sua higiene pessoal, como às necessidades fisiológicas. Diariamente, os residentes das suas vizinhanças, munidos de aguadores ou de outros recipientes, tinham a árdua tarefa fazerem o transporte para suas casas da água necessária ao seu consumo.

Contudo, esta água não era só utilizada para consumo pessoal, mas também na agricultura. Por esse facto, a água destas nascentes,  era sempre recolhida ou canalizada para reservatórios - poços - construídos nas suas proximidades, onde a água era armazenada e posteriormente distribuída para  rega de propriedades agrícolas. Quando estas nascentes eram particulares, a água acumulada era utilizada na rega dos terrenos pertencentes ao seu proprietário ou então vendida a outros agricultores. Quando as nascentes ou o direito à sua água estavam adstritas a várias propriedades agrícolas, ela era dividida pelos vários proprietários numa proporção correspondente aos direitos de cada um.

Relativamente à denominação atribuída à fonte do Cachadinha, ela teve a ver com o apelido de Cachadinha com que era conhecido um dos moradores que residiam nas proximidades. Aliás o mesmo acontece relativamente à fonte do Canário.

O topónimo Cachadinha, pelas mesmas razões da fonte, está na origem das denominação de uma vereda - a vereda da fonte do Cachadinha e de uma travessa - a travessa do Chachadinha.

Relativamente à fonte conhecida como sendo do Macaco, ela situava-se numa propriedade privada, adquirida por um indivíduo de apelido Macaco, com o objectivo de abastecer uma fábrica de manteiga que o mesmo indivíduo possuía, no sítio de Pico e Salões. A fonte e o poço do Sr. Cândido, assumiram essa denominação porque o seu proprietário era o "Sr. Cândido", ou seja Cândido Augusto da Silva, um importante proprietário natural da freguesia do Estreito de Câmara de Lobos.

 

 

Câmara de Lobos

Dicionário Corográfico
Edição electrónica

Manuel Pedro Freitas

Câmara de Lobos, sua gente, história e cultura