CÂMARA DE LOBOS - DICIONÁRIO COROGRÁFICO

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z  
 
Entrada > Dicionário > G > Geminação
 

 

 

Geminação

No dia 2 de Abril de 2008, a imprensa anunciava que o município de Câmara de Lobos estaria prestes a estabelecer uma geminação com Forio, um dos nove municípios da ilha de Ischia, situada no Mediterrâneo.

Segundo o site oficial da CMCL, a geminação estaria a ser impulsionado por uma cidadã de Câmara de Lobos, Quelmina de Barros, residente em Forio há 18 anos.
A 26 de Março, o Presidente da Câmara Municipal e o presidente da Assembleia Municipal de Câmara de Lobos deslocaram-se a Forio, a convite do presidente daquele município, para melhor conhecer todo o potencial local e estreitar relações entre os órgãos administrativos dos dois municípios.
Forio é um dos nove municípios da ilha de Ischia, situada no Mediterrâneo, no Golfo de Nápoles, e tal como Câmara de Lobos é o segundo mais populoso da ilha.
A par de uma certa semelhança geográficas entre os dois municípios situados em ilhas de países da União Europeia, ambas as economias dependem em muito do turismo, da agricultura e da pesca. O acordo de geminação deve contemplar ainda uma cooperação mutua para o desenvolvimento de relações culturais, sociais, turísticas, comerciais e industriais.
O presidente do Município de Forio, Fancesco Regine, foi convidado a deslocar-se à Madeira para ser formalizado o acordo definitivo
.

 

Ainda que esta geminação com Fório seja considerada a primeira geminação levada a efeito pelo concelho de Câmara de Lobos, a 13 de Dezembro de 1997, entre o concelho de Câmara de Lobos e a Villa e Puerto de Garachico, em Tenerife, era estabelecido um protocolo de amizade.

Este protocolo viria a ser estabelecido por iniciativa dos responsáveis administrativos da Vila e Puerto de Garachico, por ocasião das celebrações dos 500 anos da sua criação. No acto onde se destacaram os vínculos históricos entre a Madeira e Canárias, esteve presente, em representação do concelho de Câmara de Lobos, o seu presidente, Gabriel Gregório de Ornelas.

Para assinalar as celebrações dos 500 anos da criação da Vila e Puerto de Garachico viria a ser inaugurado um monumento em pedra natural na Praça de São Domingos, com os escudos em bronze, de Portugal e Espanha e aina dos municípios portugueses de Câmara de Lobos e Tavira, contendo a legenda: Garachico a Portugal en su 500 aniversário 1496-1996.

 

Mais recentemente, segundo o semanário Católico "A Guarda" na sua edição de 22 de Dezembro de 2005, por ocasião das celebrações dos 500 anos da morte de Frei Pedro da Guarda, ocorridas na cidade da Guarda, Mendes Ardérius, um dos seus organizadores viria a sugerir a geminação da Guarda com Câmara de Lobos, repto que, ao que supomos nunca terá sido colocado aos dirigentes câmara-lobenses.

A corroborar esta iniciativa está o facto  frei Pedro da Guarda, nascido na Guarda e falecido em Câmara de Lobos, ter vivido nestes dois concelhos.

 

A propósito das geminações não resistimos à tentação de transcrever um artigo de Agostinho Silva publicado no Diário de Notícias do Funchal no dia 31 de Janeiro de 2007, onde para além do levantamento das geminações conhecidas até essa data, na Madeira, são feitas algumas considerações sobre a utilidade deste tipo de iniciativas.


"
Acordos de geminação não passam do papel
O Funchal concentra metade dos 26 acordos de irmandade assinados com a Madeira; quatro concelhos não têm nenhum
Cooperação, intercâmbio, colaboração, troca de experiências e amizade são expressões vulgarizadas nos acordos de geminação, também designados de irmandade, que têm sido assinados pelos nossos concelhos, cidades e até a própria Região Autónoma da Madeira. No total, estão em vigor 26 acordos de geminação, com a cidade do Funchal a chamar a si quase metade desse número. Segue-se a Região Autónoma da Madeira, com cinco acordos assinados. Da pesquisa efectuada pelo DIÁRIO junto de todas as entidades envolvidas na Madeira, constata-se que quatro concelhos não têm ou não querem acordos do género.
O mais recente protocolo de irmandade foi assinado na última terça-feira, entre a RAM e a ilha sul-coreana Jeju. Ali se repetiram o leque de intenções que normalmente faz parte dos acordos do género: cooperação, intercâmbio, amizade. Na altura, Jardim disse que gostaria que o acordo não ficasse apenas no papel, mas dificilmente essa pretensão será cumprida. Pelo menos isso é o que se deduz dos efeitos práticos da esmagadora maioria dos acordos em vigor: depois das promessas, seladas por vezes com alguma emoção, pouco ou nada se concretiza. Ficam as boas intenções e a retribuição da visita, às vezes.
A cidade do Funchal já assinou 12 protocolos de irmandade, que levaram o nome da capital madeirense aos Estados Unidos (Oakland, na Califórnia, Honolulu e Wailuki Maui, no Hawai, e ainda New Bedford, em Massachusetts), Austrália (Marrickville e Fremantle), África do Sul (Cape Town), Brasil (Santos), Alemanha (Leichlingen), Zâmbia (Livingstone), Israel (Herzliya) e Cabo Verde (Praia).
Com cinco geminações, a Região Autónoma da Madeira abriu as portas ao Valle d'Aosta (Itália), Jersey, Transval (actual Gauteng, na África do Sul) e Província do Cabo Ocidental (também na África do Sul), para além da já referida ilha sul-coreana Jeju. Em preparação estão os acordos com Nueva Esparta (Isla Margarita, Venezuela) e Crimeia (Ucrânia).
Machico surge logo a seguir no 'ranking' das geminações. Para além do caso caricato de Madeira Beach (ver destaque), o município machiquense tem ainda outros dois acordos de irmandade com concelhos açorianos, Lajes (Ilha do Pico) e Povoação (Ilha de São Miguel), fundamentados na forte influência de pescadores de Machico.
O Porto Santo mantém duas geminações com outras duas ilhas. A primeira com o concelho de Velas, na ilha açoriana de São Jorge, e a outra com a Ilha de Maio, em Cabo Verde. No 'baú' das intenções continua a geminação com a paradisíaca Bora Bora, no Taiti, aventada aquando da passagem de Jardim pela Polinésia, em 2000, bem como a intenção manifestada pela 'alcaldia' de El Hatillo, na Venezuela.
Com apenas um acordo firmado há quatro municípios: Santa Cruz (São Vicente-Cabo Verde); Ribeira Brava (São Nicolau-Cabo Verde); São Vicente (Nordeste-Açores); e Ponta do Sol (Ribeira Grande-Cabo Verde). Câmara de Lobos, Calheta, Santana e Porto Moniz ainda não se deixaram seduzir por esta abertura além-fronteiras...

Madeira Beach 'desconhecida'
O caso recente sobre a geminação da cidade norte-americana Madeira Beach, na Florida, com a Região Autónoma da Madeira, causou perplexidade nos Estados Unidos e por cá. Tal como o DIÁRIO anunciou oportunamente, o 'city manager' Jill Silverboard propôs um acordo de irmandade com a RAM, tendo alguns responsáveis políticos de Madeira Beach recusado a ideia. A divulgação dessa discussão alertou o antigo presidente da Câmara de Machico, Rufino Teixeira, dado que em 1974 o município machiquense havia celebrado um acordo de geminação com Madeira Beach.
Essa revelação viria a surpreender tudo e todos, em Machico e em Madeira Beach.
O imbróglio causou algum incómodo, dado que aparentemente o acordo de irmandade ainda continua em vigor, apesar de serem nulas as relações entre as cidades madeirense e norte-americana.
A semana passada, Jill Silverboard informava o nosso jornal que Madeira Beach julgava que o acordo de 1974 havia caducado em 2003. Contudo, já está a decorrer uma averiguação para avaliar a validade do protocolo assinado há 33 anos. Caso haja interesse de Machico, a geminação poderá ser reactivada, afiança Silverboard".

 

 

 

Câmara de Lobos

Dicionário Corográfico
Edição electrónica

Manuel Pedro Freitas

Câmara de Lobos, sua gente, história e cultura