CÂMARA DE LOBOS - DICIONÁRIO COROGRÁFICO

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z  
 
Entrada > Dicionário > H > Henriques, Luís Soares de Sousa

Luís Soares de Sousa Henriques

 

 

Henriques, Luís Soares de Sousa

 

Natural da freguesia de Câmara de Lobos, onde nasceu ao sítio do Caminho Grande e Preces, 24 de Fevereiro de 1831 [1]. Faleceu, aos 80 anos, a 18 de Março de 1911, na sua residência ao sítio do Caminho Grande e Preces, na freguesia de Câmara de Lobos. Era filho do Alferes Luís Soares de Sousa e de Joaquina Luísa Henriques [2], naturais de Câmara de Lobos, em cuja igreja paroquial casaram a 26 de Junho de 1828. Era neto materno do Capitão Francisco Figueira Henriques, natural de Câmara de Lobos e de Maria Rita Assunção, natural da Ribeira Brava.

Casou em 28 de Novembro de 1862, na igreja de São Sebastião, com Caetana Maria Gonçalves, falecida no dia 21 de Março de 1901, natural do Campanário, filha do capitão Francisco Joaquim Gonçalves de Andrade natural do Campanário e de Caetana Maria Gonçalves Macedo, natural do Estreito de Câmara de Lobos de quem teve:

1. Dr. Luís Soares de Sousa Henriques Júnior. Natural de freguesia de Câmara de Lobos, onde foi batisada a 24 de dezembro de 1867 [Reg. Batismo 181], tendo falecido a 18 de fevereiro de 1939.. Foi médico. Casou com Frederica Ribeiro, filha do barão de Uzel, Luís Alexandre Ribeiro de Mendonça, de quem teve:

2. Dora Soares Henriques, violinista, natural do Brasil. Casou com o pianista Prof. Lourenço Varela Cid. Lourenço Varela Cid (1898-1987) foi um pianista português do século XX, um dos nossos mais conhecidos artistas, de renome mundial; dedicou grande interesse à divulgação da boa música, tanto a antiga como a moderna; foi bom executante, bom mestre e um erudito respeitado (in MARTINS DOS SANTOS, A MÚSICA EM PORTUGAL, BRAGA - 1999). A constituição do primeiro corpo docente da Academia de Música da Madeira cuja sede foi inaugurada oficialmente a 13 de Novembro de 1946 foi feita com base numa escolha do Professor Lourenço Varela Cid que desde o primeiro momento se interessou e empenhou incansavelmente pela Sociedade de Concertos e pela Academia de Música da Madeira.

      Deste casamento houve:

3. Vera Varela Cid.

3. Graça Varela Cid, falecida no dia 19 de Novembro de 1977, no Funchal, em consequência da queda do avião onde viajava e trabalhava como hospedeira.

3. Sérgio Varela Cid, pianista, natural de Lisboa, onde terá nascido à rua do Salitre no dia 5 de Outubro de 1935. Casou por duas vezes, a primeira com Luísa Bravo, de quem houve três filhos e de quem se haveria de divorciar. Casaria posteriormente pela segunda vez, havendo desta união um filho. Faleceu no Brasil a 31 de de Outubro de 1981 em circunstâncias não completamente esclarecidas. Sérgio Varela Cid foi um músico de excepção; herdou de seu pai a técnica pianística e de sua mãe, - Dora Soares Varela Cid (Séc. XX), tomou o gosto pelo violino; a estremada perícia de Sérgio tem sido galardoada com variados e valiosos prémios, que honram tão distinta e renomada família (in MARTINS DOS SANTOS, A MÚSICA EM PORTUGAL, BRAGA - 1999).

3. (?)

2. Eng. Luís Soares.

1. Caetana Nicolina Gonçalves de Sousa. Natural da freguesia de Câmara de Lobos, onde foi batisada no dia 31 de dezembro de 1863 [Reg. Batismo 228). Foi a 1ª mulher do major Guilherme Quintino Pinto Prado, de quem teve:

2. Ilda Celeste Gonçalves Prado de Almada, que casou em 1907, com o Dr. João Francisco de Almada, de quem teve:

3. António Prado de Almada, falecido solteiro e sem geração.

3. Manuel Prado de Almada, falecido solteiro e sem geração.

3. Maria Prado Almada, que em 17 de Dezembro de 1936 casou, no Funchal, com Dr. Agostinho Gabriel Cardoso, de quem teve:

4. Rita Prado de Almada Cardoso que casou no Funchal com o eng. Luís Veiga da Cunha, com descendência.

4. Maria João Prado Almada Cardoso que casou no Funchal, com o Dr. Vasco Proença de Oliveira, com geração.

4. Luísa Prado Almada Cardoso, que casou no Funchal, por duas vezes: a primeira com o Dr. José Manuel da Cunha Tavares da Silva e a segunda com Erskine Wiliam Leacock, com geração.

4. Teresa Maria Prado Almada Cardoso que casou com o Eng. Perry Vidal, com geração.

4. Emília Prado Almada Cardoso que casou, no Funchal, com Charles Jeremy Zino, com geração.

4. António Prado Almada Cardoso, casada com Isabel Maria Portugal.

4. Margarida Maria Prado Almada Cardoso, casada com José Rapazote Fernandes, com geração.

4. João Francisco Prado Almada Cardoso, solteiro.

4. Ilda Maria Prado Almada Cardoso, casada com o Dr. Francisco Xavier Esteves.

4. Maria Benedita Prado Almada Cardoso, casada com o Dr. José António Sousa Câmara.

1. Constantina Soares (Henriques) Proença. Natural da freguesia de Câmara de Lobos, onde foi batisada a 28 de abril de 1870 [Reg. Batismo 97]. Casou com o capitão José Bernardo Proença, de quem teve:

2. Dra. Eulália Celeste Soares Proença de Oliveira que casou em Lisboa com o Dr. João Cândido de Oliveira, de quem teve:

3. Dr. Rui Fernando Proença de Oliveira.

3. Dr. Vasco Proença de Oliveira, que casou com Maria João Prado Almada Cardoso, de quem depois se divorciou e de quem teve geração:

3. Dra. Maria Isabel Proença de Oliveira.

2. Hermínia Soares Proença Neto, que casou com o prof. Luís Neto e de quem teve:

3. Helena Maria Proença Neto, que casou com Eng. Álvaro.

2. Luís Soares Proença.

2. Gracinda Soares Proença.

1.  Hermínia Celeste Soares Henriques, que casou com Maurício Gonçalves (ou Narciso de Sousa), de quem teve dois filhos, ambos falecidos solteiros e sem descendência.

1. Dr. João Artur Soares Henriques, médico, natural da freguesia de Câmara de Lobos, onde nasceu a 1 de Fevereiro de 1972, tendo falecido a 6 de Dezembro de 1956. Casou com Maria Isabel de França Jardim de quem teve:

2. Julieta Soares Henriques, casada com João Zacarias de Freitas.

2. Luís Jardim Soares Henriques, que casou com Ariete Macedo, sem descendência.

2. Eng. Ag. João Jardim Soares Henriques, que casou com Maria Álvares Vasques Rego Soares Henriques, tendo falecido sem descendência.

1. António Tito Soares Henriques, natural de Câmara de Lobos, onde foi batisado no dia 10 de abril de 1876 [Reg. Batismo 82]. Faleceu no dia 21 de Agosto de 1906, aos 30 anos de idade, de tuberculose.

 

Luís Soares de Sousa Henriques foi um influente político em Câmara de Lobos, onde militou no partido Regenerador.

Foi presidente da Câmara Municipal de Câmara de Lobos entre 1870 e 1873; em 1976; entre 1902 e 1904 e entre 1909 e 1910. Para além da presidência da Câmara exerceu durante vários períodos o cargo de Administrador do Concelho.

Tomou posse no dia 2 de Janeiro de 1870, no cargo de presidente da Câmara para o biénio de 1870/1871. Da sua equipa faziam parte: José Figueira da Silva do Covão; José Figueira de Araújo; Luís Francisco Mendes Corrêa e José Francisco (Figueira ?) da Silva, da Ribeira Fernanda.

Na sessão de 31 de Março de 1870 comparece como vereador substituto Manuel Figueira da Silva e na sessão de 14 de Setembro de 1870 surge também o nome de Izidoro Gonçalves Figueira como vereador substituto.

 

No dia 2 de Janeiro de 1872, Luís Soares de Sousa Henriques é eleito para mais um mandato. Deste elenco camarário para o biénio de 1872/1873, faziam parte José Figueira de Araújo que era o vice-presidente, João Joaquim Gonçalves Henriques; Luís Francisco Mendes Corrêa e José Figueira da Silva.

 

No dia 10 de Abril de 1876, Luís Soares de Sousa Henriques assume novamente a presidência da Câmara. Do seu elenco faziam parte: Luís Francisco Mendes Correia; José Figueira da Silva (vice-presidente); João Joaquim Gonçalves Henriques e João Baptista de Araújo. Luís Soares de Sousa Henriques conjuntamente com os restantes vereadores havia sido excluído do cargo de vereador para que fora eleito em finais de 1875, por acórdão do Conselho Distrital de 28 de Dezembro de 1875, que seria posteriormente anulado pelos acórdãos de 4 e 22 de Março de 1876, assumindo então em 10 de Abril a presidência da Câmara.

Contudo, Luís Soares de Sousa Henriques só permanecerá nesse cargo poucos meses, sendo na sessão de 2 de Agosto de 1876 substituído por José Figueira da Silva, isto porque entretanto havia sido nomeado Administrador (?). No dia 9 de Agosto de 1876, Luís Soares de Sousa Júnior toma posse no cargo de vereador, preenchendo assim a vaga deixada por Luís Henriques.

De acordo com o Diário de Noticias de 11 de Fevereiro de 1897, Luís Soares de Sousa Henriques, do partido regenerador havia pedido a demissão do cargo de administrador quando os progressistas chegaram ao poder. Em sua substituição foi nomeado o Dr. António Silvino Macedo.

No dia 24 de Fevereiro de 1902, volta à presidência da Câmara para o triénio de 1902-1904. Da sua equipa faz parte o Pe. Eduardo Jacinto Gonçalves que é vice-presidente, António Joaquim de Freitas Henriques, Januário de Freitas Barreto e Manuel António Nunes.

Contudo, no dia 17 de Março de 1902, devido à sua nomeação para o cargo de administrador do concelho, Luís Soares de Sousa Henriques, já não preside à sessão da Câmara, responsabilidade que passa a partir do dia 26 de Março, a pertencer ao Pe. Eduardo Jacinto Gonçalves. Por outro lado António Tito Soares Henriques é chamado a ocupar a vaga dei­xada pelo saída de Luís Henriques do elenco camarário, ainda que só até ao dia 7 de Maio de 1902. Efectivamente, nesta data Luís de Sousa Henriques volta a ocupar o seu lugar na presidência da Câmara Municipal de Câmara de Lobos, por ter sido substituído no cargo de administrador, por Artur Leite Monteiro, nomeado para es­sas funções pelo alvará de 16 de Abril de 1902.

Contudo, na sessão do dia 28 de Janeiro de 1903, pelo facto de Luís de Soares de Sousa Henriques ter sido, por alvará de 26 de Janeiro, nomeado novamente Administrador do concelho, o Pe. Eduardo Jacinto Gonçalves volta a ocupar a presidência da Câmara e António Tito Soares Henriques é chamado a ocupar o seu lugar na vereação.

Por alvará de 14 de Junho de 1904, João Frederico Rego é no­meado administrador interino do concelho de Câmara de Lobos, substituindo, desta forma Luís Soares de Sousa Henriques, que na sessão de 15 de Junho de 1904, volta a assumir a presidência da Câmara, saindo António Tito Soares Henriques, da vereação.

Contudo, por exoneração de João Frederico Rego, ocorrida a 25 de Junho de 1904, tudo volta ao início e na sessão camarária de 30 de Junho de 1904, Luís Soares de Sousa Henriques já se apresentou como administrador, o Pe. Eduardo Jacinto Gonçalves, no exercício da presidência e António Tito Soares Henriques volta à vereação.

No dia 26 de Outubro de 1904, é nomeado administrador do conse­lho, Manuel Joaquim Lopes, pelo que Luís Soares de Sousa Henriques volta à presidência da Câmara, onde se mantém até à sua substituição pelo novo elenco camarário empossado a 2 de Janeiro de 1905 e presidido pelo Pe. João Joaquim de Carvalho.

 

No dia 9 de Dezembro de 1908, Luís Soares de Sousa Henriques, volta a assumir a presidência, desta vez para o triénio de 1908-1910, num elenco camarário de que também faziam parte: Manuel Justino Henriques, como vice-presidente, João Augusto Figueira da Silva, Joaquim Figueira César, Sabino Teodoro da Silva, João Cassiano Figueira e Manuel Joaquim Lopes Júnior.

Contudo, tal como no seu anterior mandato, Luís Soares de Sousa Henriques volta a ser nomeado Administrador do concelho e na sessão de 20 de Julho de 1910, vêmo-lo já substituído na presi­dência da Câmara por Joaquim Figueira César e em sessões se­guintes pelo vice-presidente Manuel Justino Henriques.

Na sessão do dia 12 de Dezembro de 1910, volta a assumir a pre­sidência da câmara e surge como Administrador, o oficial de dili­gências Gastão Ribeiro Pereira.

No dia 11 de Janeiro de 1911, António Prócoro de Macedo assume, até finais de Fevereiro de 1911, o cargo de vereador, em substitui­ção de João Cassiano Figueira.

Na sessão de 22 de Março de 1911, Manuel Justino Henriques, assume a presidência da Câmara dado o falecimento de Luís Soares de Sousa Henriques.

 

 


[1]     Registo de baptizados da freguesia de Câmara de Lobos, Livro 304, fls.24 de 10 de Abril de 1831.

[2]     Joaquina Luísa Henriques nasceu por volta de 1804 e faleceu, em Câmara de Lobos, no dia 29 de Abril de 1889 era filha do capitão Francisco Figueira Henriques e de Margarida Rita Assunção. Era neta paterna de Manuel Gonçalves Henriques e de Catarina Figueira e neta materna de Silvestre de Abreu Pestana e de Maria Abreu Macedo. Ao que parece, Joaquina Luísa Henriques, tinha como irmãs: Maria Justino Henriques (falecida no dia 11 de Outubro de 1860), Vitorina Narcisa Henriques, Justina Rita Henriques e Ana Rita Henriques, esta casada com o Capitão António Gonçalves Henriques (Livro de óbitos paroquiais da freguesia de Câmara de Lobos: Registo de óbitos de Maria Justino Henriques, no dia 11 de Outubro de 1860; registo do óbito de Justina Salomé Rita Henriques a 5 de Março de 1864 e registo da morte de Joaquina Luísa Henriques, a 29 de Abril de 1889).

 

 

 

Câmara de Lobos

Dicionário Corográfico
Edição electrónica

Manuel Pedro Freitas

Câmara de Lobos, sua gente, história e cultura