CÂMARA DE LOBOS - DICIONÁRIO COROGRÁFICO

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
 
Entrada > Dicionário > L > Levada da Serra
 

 

 

Levada da Serra

 

A levada da Serra tem origem no sítio da Corrida, até 1996 pertencente à freguesia do Estreito de Câmara de Lobos [1]. Foi aberta por volta de 1853, a expensas do conde de Carvalhal e possuía uma a extensão de uma légua. Em 1863, a maior parte da sua água era arrendada, atingindo o montante hora entre 1.800 reis a 3.000 reis, o que era tido como sendo um preço exagerado.

Tinha esta levada origem nas fontes e nascentes do prédio descrito sob o número 33 a fls. 56v do L.º B1º da extinta Conservatória do concelho de Câmara de Lobos e segue pelo sítio do Marco e Fonte da Pedra, depois pela estrada pública, nos sítios das Faias, Estreitinho, Calvário, Romeiras e Igreja, terminando no prédio [...] descrito sob o número 1 a fls. 1v do dito L.º B1º da mesma extinta Conservatória e nesta altura divide-se em vários ramos que tomam diversos nomes.

Em 1909 uma adenda ao registo, precisa que a levada da Serra tinha origem no tanque denominado de poço da Serra [2], compreendido no prédio descrito sob o número 15518 a fls. 77Vº do L.º B41 da Conservatória do Funchal [3].

Ainda que inicialmente propriedade do Conde de Carvalhal, a levada acabaria por se tornar uma levada de heréus, facto que se terá ficado a dever muito provavelmente à transmissão de direitos, juntamente com a alienação das vastas propriedades que o conde de Carvalhal possuía na freguesia do Estreito de Câmara de Lobos [4]. A este propósito refira-se que o conde de Carvalhal possuía, em 1874, extensas propriedades nas freguesias do Estreito de Câmara de Lobos, Campanário e Ribeira Brava, sendo as do Estreito e Campanário, num total de 69 prédios, conhecidas por Feitorias do Estreito e Campanário [5].

Para além de regar substancial área da freguesia do Estreito de Câmara de Lobos, a água da levada da Serra também irrigava através do Pico da Cruz, a Cruz da Caldeira, o Facho, o Rancho, a Caldeira e parte das Preces.

Em finais dos anos 80, a levada da Serra passou para administração da Secretaria Regional da Agricultura e Pescas.


 


[1]      Em 1996 toda a zona alta da freguesia do Estreito de Câmara de Lobos, onde se incluía o sítio da Corrida e Quinta do Jardim da Serra, passaram a integrar a freguesia do Jardim da Serra, nesse ano criada.

[2]      Hoje conhecido por poço da Corrida.

[3]      Este prédio seria uma parte separada do prédio com o nº 33, fls. 56V do Livro B1 da extinta Conservatória de Câmara de Lobos, e neste estaria situado o Poço da Serra que era alimentado com diversas fontes.

[4]      Ver Livro G2, fls. 42V, inscrição 834 de 14 de Outubro de 1881 da Conservatória do Registo Predial do Funchal; Livro G106, fls 33V, inscrição 73650 de 9 de Julho de 1958 da Conservatória do Registo Predial do Funchal;  Livro G106, inscrição 73652 de 9 de Julho de 1958; Livro G95 fls. 184, inscrição 66397 da Conservatória do Registo Predial do Funchal e Livro G101 fls. 65V, inscrição 70433, de 13 de Outubro de 1954 da Conservatória do Registo Predial do Funchal.

[5]     Escritura de arrendamento feita pelo Tabelião Ajudante Joaquim Manso de Sousa, lançada a fls. 35 do livro 11, de 23 de Janeiro de 1874.

 

Câmara de Lobos

Dicionário Corográfico
Edição electrónica

Manuel Pedro Freitas