CÂMARA DE LOBOS - DICIONÁRIO COROGRÁFICO

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z  
 
Entrada > Dicionário > L > Lopes, Padre João Evangelista
 

 

 

Padre João Evangelista Lopes

 

Natural da freguesia de Câmara de Lobos, onde nasceu a 26 de Setembro de 1908. Era filho de João Maria Lopes e de Maria Figueira Lopes. Era neto paterno de Manuel Joaquim Lopes (1838-1921), natural de Câmara de Lobos e de Maria Matilde da Silva, natural do Estreito de Câmara de Lobos.

Frequentou o Seminário Diocesano, sagrando-se Presbítero no dia 4 de Abril de 1931.

No dia 1 de Fevereiro de 1932 foi nomeado coadjutor da paróquia de São Pedro, ajudando o célebre Padre Paiva, com fama de santidade e muito preocupado com os pobres, de quem procurou seguir as pisadas[1] e onde fundou o Grémio dos Operários Católicos, obra de carácter social e assistencial. No dia 19 de Junho de 1958 é nomeado pároco da então recém criada paróquia do Imaculado Coração de Maria, onde teve a responsabilidade de implementar a construção da respectiva sede paroquial, obra a cuja bênção, não viria a assistir, em virtude de se encontrar doente e internado e em consequência da qual morre, no Hospital da Santa Casa da Misericórdia do Funchal, no dia 25 de Outubro de 1967.

O padre Lopes «era um homem com uma simpatia muito grande, a quem as pessoas ofereciam muitas coisas». Relativamente à sua passagem pela paróquia do Imaculado Coração de Maria, o cónego Conceição diria que o padre Lopes «Fez tudo aquilo que lá está […]. Organizou as célebres festas da Levada, que duravam 15 dias e que tinham grande adesão do povo. Lembro-me de que, quando foi construído o tecto da igreja, ele foi pedir dinheiro emprestado às pessoas, para arranjar 700 contos, dizendo que depois a Igreja pagava. Devido à sua simpatia, muitos optaram por doar significativas quantias. Como se tratava de obras grandes, e porque era homem de crédito, os bancos adiantavam-lhe o dinheiro. Consta que, quando morreu — devido a um cancro —, a maior parte dos bens foram vendidos para pagar as dívidas que tinha criado»[2].

No dia 19 de Abril de 2006, o seu nome passaria a denominar um arruamento localizado na área da paróquia do Imaculado Coração de Maria[3].

 

[1]     Jornal da Madeira, 20 de Abril de 2006.

[2]     Jornal da Madeira, 20 de Abril de 2006.

[3]     Jornal da Madeira, 20 de Abril de 2006.

 

Câmara de Lobos

Dicionário Corográfico
Edição electrónica

Manuel Pedro Freitas

Câmara de Lobos, sua gente, história e cultura