CÂMARA DE LOBOS - DICIONÁRIO COROGRÁFICO

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
 
Entrada > Dicionário > S > Silva, Dr. João Vicente da

Dr. João Vicente da Silva

 

 

Silva Dr. João Vicente da  

 

Natural da freguesia do Estreito de Câmara de Lobos, onde terá nascido por volta de 1803, tendo falecido solteiro e sem descendência, no dia 9 de Outubro de 1895, aos 92 anos de idade, na casa da sua residência no sítio da Ribeira Fernanda [1].

Era filho do capitão Silvestre Gomes da Silva e de Antónia da Luz Espírito Santo, naturais da freguesia do Estreito de Câmara de Lobos.

Foi um importante proprietário e um médico de muita reputação, tendo prestado relevantes serviços, não só, na época da cólera morbus [1856] como em outras circunstâncias anormais. Era também um desvelado pai dos pobres [2], como aliás se pode inferir do conteúdo do testamento que deixou ao falecer.

Durante cerca de 40 anos esteve ao serviço da Câmara Municipal, como contratado para tratar os seus expostos [3].

Ao que tudo leva a crer, seria um importante viticultor [4], podendo uma medalha de ouro por ele ganha numa exposição de Paris, estar relacionada com esta sua actividade.

Em testamento efectuado aos 11 dias de Julho de 1894 [5], ainda que deixando legados a outras pessoas, institui como seus herdeiros universais, o Dr. António Evaristo de Ornelas, na altura 1º barão de Ornelas e sua irmã Maria Isabel, casada com o conde de Brixer, ambos seus sobrinhos e filhos de Narcisa Januária de Ornelas [6], [7] e Evaristo de Ornelas.



[1]    Esta propriedade situa-se na Ribeira Fernanda, com acesso para a hoje denominada rua Prof. José Joaquim da Costa. Primeiramente do Dr. João Vicente da Silva, passa depois, por doação, ao 1º Barão de Ornelas, razão por que algumas vezes é também conhecida pela casa do Barão. Posteriormente é adquirida aos herdeiros do Barão de Ornelas, por Francisco Nunes Pereira de Barros Júnior (1863-1942), o que terá acontecido, muito provavelmente depois de 1930. Passou depois a propriedade para seu filho, Francisco Nunes Pereira de Barros Júnior, e foi, após a sua morte, vendida a Martinho de Abreu, que por sua vez, a haveria de lotear e vender em fracções. Na casa da residência desta propriedade esteve durante vários anos instalada a Casa do Povo do Estreito, depois da sua saída no local onde fora fundada, no sítio da Ribeira da Caixa e a delegação no Estreito da Direcção Regional de Segurança Social.

[2]     Diário de Notícias, 11 de Outubro de 1895.

[3]    De acordo com O Direito, de 24 de Novembro de 1879, por essa altura o concelho de Câmara de Lobos só possuía um médico, sitiado na freguesia do Estreito de Câmara de Lobos. Era o Cirurgião Dr. João Vicente da Silva. Na sessão camarária de 26 de Fevereiro de 1896 dá-se conta de que a Câmara não tinha médico municipal e, por isso pedia-se a criação de um lugar de facultativo no partido médico de Câmara de Lobos. Segundo a proposta apresentada,  o Dr. João Vicente da Silva na altura já falecido havia sido contratado 40 anos antes, para tratar unicamente dos expostos.

[4]     Diário da Madeira, 8 de Abril de 1930. Para além de importantes prédios rústicos e urbanos, o Dr. João Vicente da Silva legaria ao 1º Barão de Ornelas, preciosos vinhos madeira, alguns dos quais datando de 1837 e que, em 1930, estariam armazenados em seis lojas ou adegas nos sítios do Ribeiro Real, Ribeira Fernanda, Vargem, Igreja e cujas chaves estariam na posse do seu amigo e parente, Francisco Nunes Pereira de Barros Júnior

[5]     Livro de notas 51 do tabelião privativo de Câmara de Lobos, António Joaquim de Freitas Henriques, fls.84.

[6]    O Dr. João Vicente da Silva seria irmão de Narcisa Januária.

[7]    Num artigo publicado pelo Eng. Luiz Peter Clode, na revista "Das Artes e da História da Madeira nº41 Vol. VIII, de 1971, sob o título Barões de Ornelas, é possível certificar o grau de parentesco existente entre o Dr. João Vicente da Silva e o Barão de Ornelas.

 

Câmara de Lobos

Dicionário Corográfico
Edição electrónica

Manuel Pedro Freitas