CÂMARA DE LOBOS - DICIONÁRIO COROGRÁFICO

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
 
Entrada > Dicionário > S > Sindicato Agrícola Estreitense
 

 

Sindicato Agrícola Estreitense

 

A freguesia do Estreito de Câmara de Lobos, foi no concelho e na Madeira, a primeira a criar o seu sindicato agrícola, sendo o seu alvará de criação e respectivos estatutos publicados no Diário do Governo, II Série, número 294 de 20 de Dezembro de 1918, sendo do seguinte teor o respectivo alvará: Sidónio Pais, Presidente da República Portuguesa, faço saber aos que este meu alvará virem que sendo-me presentes os estatutos com que pretende constituir-se um Sindicato Agrícola, com a denominação de Sindicato Agrícola Estreitense, com sede em Estreito;

Visto o artigo 3º. da carta de lei de 3 de Abril de 1896 e artigo 7º. do decreto nº. 4.022, de 29 de Março de 1918:

Hei por bem aprovar os estatutos do referido Sindicato, que constam de seis capítulos e trinta e quatro artigos, e baixam com este alvará assinado pelo Ministro da Agricultura, ficando o mesmo Sindicato, sujeito às disposições em vigor da referida lei de 3 de Abril de 1896, e às que lhe forem aplicáveis pela mencionada lei e decreto nº. 4.022, pela qual sempre e em qualquer hipótese se deverá regular, e com a expressa cláusula de que esta aprovação lhe poderá ser retirada, quando se desvie dos fins para que é instituída ou não cumpra fielmente os seus estatutos.

Pelo que mando a todos os tribunais, autoridades e mais pessoas, a quem o conhecimento deste alvará competir, que o guardem e cumpram e façam cumprir e guardar, tão inteiramente como nele se contém.

E por firmeza do que dito é vai por mim assinado.

Paços do Governo da República, 26 de Abril de 1918.

Relativamente ao Sindicato Agrícola Estreitense convirá referir que no dia 2 de Março de 1919 tiveram lugar eleições para os seus corpos directivos, tendo sido eleito para a  Assembleia Geral: Januário de Freitas Barros (presidente), Augusto Joaquim Lopes e Anacleto Nunes Pereira (secretários); para o conselho fiscal: Eng. Cândido Joaquim Rodrigues (presidente) Quintino Adelino de Sousa Pereira e José Vicente da Silva (vogais). Ao tomar posse a Direcção nomeou sócios beneméritos Alfredo Fraga Gomes, Eng. Agrónomo do Distrito e Cândido Eduardo de Freitas, notário de Câmara de Lobos [1].



[1]        Diário da Madeira de 6 de Março de 1919.

 

Câmara de Lobos

Dicionário Corográfico
Edição electrónica

Manuel Pedro Freitas